Numen

 

  O ser, ao dormir, acorda num mundo onírico, onde já havia passado em outros sonhos. Desta vez, busca um objetivo.

  Procura a si mesmo, encontrando o desencanto. Na água, purifica-se, sabendo de que se o corpo material não está limpo, o inconsciente não poderia chegar em seu estado máximo.

  No horizonte, busca contatar algo verdadeiro, mas além de si, que o ultrapassa. Por fim, o ser numinoso atinge o clímax de sua metamorfose.

  Experiências oníricas numinosas nos dão a sensação de participar de uma realidade transpessoal. Sentimos estar em contato com algo verdadeiro que está além de nós e nos ultrapassa. Essa realidade se revela durante as horas de sono, embora não percebamos.

  “Dormimos para este mundo, e acordamos para o outro.” (Monteiro Muniz C.)